Você tem um bom painel de controle?



Feche bem os olhos, segure firme a direção e pise fundo no acelerador! O que, a ideia te parece uma loucura? Também me causa vertigem só de imaginar... fico pasmo de ver gestores administrando seus negócios dessa forma.


Uma das primeiras providencias que um líder deve tomar ao assumir um posto de comando, seja ele qual for, é validar ou estabelecer – caso não exista – um painel de controle com indicadores que traduzam em números a performance obtida.


Este painel de controle deve ser formado por indicadores numéricos que mensurem aquilo que é relevante para o sucesso do negócio. Assim, deve abarcar a qualidade intrínseca do produto, o atendimento, a dimensão financeira, a segurança e o moral da equipe de colaboradores.


Itens de controle são fundamentais para:


TBC – BOTÃO AMARELO!


Você está dirigindo e percebe que o marcador de temperatura está no vermelho. Amigo, se você nada fizer, seu motor irá fundir! Ou então, tudo parece ir bem, mas o marcador de combustível atingiu a reserva...


Um bom painel de controle alerta quando algo grave está para acontecer, caso não se tome alguma providência imediatamente. Em gestão, falamos popularmente que é TBC, ou, como queiram, hora de Tirar a Bunda da Cadeira!!! É a famosa luz amarela de alerta, que se acende quando, no gráfico do item de controle, a linha formada pela sequência de pontos encosta nos limites superior ou inferior de controle. Em outras palavras, amigo, fique esperto, seu processo saiu do controle! Seja o “mostrador” da inadimplência, do faturamento ou da satisfação do cliente, não importa do que estejamos falando: faça alguma coisa agora mesmo!


COMPARAR SEU DESEMPENHO COM A CONCORRÊNCIA E COM SEUS PRÓPRIOS RESULTADOS PASSADOS.


Em um cenário competitivo como o que vivemos, é fundamental comparar resultados. Seus números fazem bonito se confrontados com os dos seus concorrentes? A resposta o ajudará a decrifrar o comportamento do seu cliente... alias, você sabe quem é seu benchmarking para cada um dos seus itens de controle?


E se formos comparar seus resultados atuais com os anteriores? Está melhor ou pior? Avaliar com exatidão os resultados obtidos é o primeiro passo para a gestão baseada em fatos e dados e não em inferências do tipo: "eu penso", "eu acho", "eu presumo", "eu suponho"... Não se implanta o kaizen (melhoria contínua) sem um controle rigoroso dos resultados.


ATESTAR A EFICÁCIA OU NÃO DAS AÇÕES EMPREENDIDAS


Aquela ideia genial de mudança no processo realmente funciona? A verificação do impacto da implementação da ideia no respectivo item de controle dirá se a ação deve ser padronizada ou se foi inócua e que, portanto, deve ser abandonada.


PREVER O FUTURO


A partir de uma série histórica de sete ou mais dados, podemos calcular o próximo resultado, isto é, traçamos uma tendência. Em outras palavras, permanecendo inalteradas as condições reinantes, saberemos antecipadamente o que vai acontecer.


COMPARAR COM A META


De que adianta estabelecer uma meta se eu não a cotejo com o resultado obtido. Chegou lá? Faltou quanto?


E aí? convencido ou prefere continuar vivendo perigosamente?

---------------------------------------

Jean Gomes

Pai do Felipe e da Betina. Quando está em Florianópolis, onde reside, pode ser encontrado na Lagoa da Conceição, passeando na companhia dos seus dois cachorros, ou no Estádio do Avaí, torcendo para seu time do coração. É Graduado e Mestre em administração de empresas. Especialista em Marketing e em Gestão pela Qualidade Total. É palestrante, consultor experiente e professor de cursos de graduação e pós-graduação. Atua em diversas áreas da administração, sobretudo nas afetas à liderança & desenvolvimento de equipes, negociação, ferramentas de gestão e metodologias de ganho de performance voltadas à gestão de serviços. É Diretor e consultor da Imersão Consultores Associados.

Compartilhe suas dúvidas e experiências, deixe um comentário!

Procurar por tema
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square